Experimente comer tapioca em vez de pão e emagreça

Ela tem baixas calorias e não tem glúten, e ajuda no emagrecimento

Na minha reeducação alimentar ela é a rainha! Ela ajuda a segurar as pontas, seja no café da manhã, almoço ou jantar.
Leve, ela aceita mil formas de fazer e rechear.
Peça e receba as dicas e informações de como usar a tapioca para mudar seu estilo de vida, ganhar mais saúde ou emagrecer.
E de quebra, receitas leves para você começar a sua mudança.
Aprenda a fazer a pizza de tapioca, coma e emagreça!


Fazer substituições inteligentes faz parte de uma alimentação saudável. De acordo com a nutricionista Andrea Santa Rosa, a tapioca é versátil e pode ser amiga da dieta também. “Uma colher de sopa do alimento possui apenas 70 calorias”, explica a especialista. A seguir, confira quatro ótimos motivos para inserir já a tapioca na sua rotina alimentar.

1 Não contém glúten
“A tapioca não possui a gliadina, uma proteína presente no glúten que colabora para o aumento da inflamação do organismo e da gordura abdominal”, diz Andrea. O alimento também pode ser consumido por diabéticos.

2 Substitui o pão branco
Para um café da manhã light, Andrea Santa Rosa recomenda substituir o pão branco por tapioca. “O alimento pode ser consumido todos os dias, sem contraindicações. Vale lembrar que o pão branco é proveniente de uma farinha refinada, pobre em nutrientes (vitaminas e minerais). Ele ainda contém glúten, rico em proteínas que não são digeridas pelo intestino”.

3 Amiga da dieta
Pouco calórica, a tapioca é uma opção saudável quando combinada a recheios e acompanhamentos que seguem a dieta. “Recomendo acrescentar um ovo mexido, pasta de humus com páprica e um fio de azeite com orégano. Se preferir um alimento doce, escolha geleia sem adição de açúcar”, diz a nutricionista.

4 Prática e versátil
A tapioca pode ser preparada em formato de panqueca e até pizza. “Esta última opção é excelente para o jantar. Basta substituir a massa tradicional, regar com molho de tomate, acrescentar mussarela de búfala e manjericão”, orienta Andrea. Para uma tapioca nutritiva, a nutricionista recomenda o acréscimo de sementes de chia à sua preparação.

Receita leve 1

Tapioca com cottage e Chia

A chia é a mais recente novidade em grãos do momento. Por isso, Fernanda Scheer, nutricionista funcional, ensina uma combinação leve e saudável para acompanhar a tapioca com chia, usando cottage e mel. Anote a receita:

Ingredientes:
2 colheres (sopa) de farinha de tapioca (goma de mandioca hidratada)
1 colher (sopa) de semente de chia
2 colheres (sopa) de queijo cottage
1 colher (sopa) de mel

Modo de preparo:
Incorpore a farinha de tapioca com a chia e coloque a mistura em uma frigideira bem quente. Deixe grudar e vire. Acrescente o queijo cottage, o mel e feche. Sirva em seguida.

Por que escolher a chia?
“A chia é uma sementinha poderosa, fonte de vitaminas do complexo B, de minerais como cálcio, fósforo, magnésio, potássio, ferro, zinco e cobre. É a semente que apresenta maior teor de proteínas quando comparada a outros cereais como o milho, o arroz, a aveia, a cevada e o trigo. Por isso, o consumo da chia pode beneficiar vegetarianos, pois complementa o fornecimento deste nutriente na dieta”, ensina Fernanda.

Tapioca doce com banana e Amaranto

Com recheio de amaranto, banana e pasta de gergelim, a famosa tahine, a tapioca que a nutricionista funcional Fernanda Scheer prepara é perfeita para ser servida como uma sobremesa light. Anote a receita:

Ingredientes:
2 colheres (sopa) de farinha de tapioca (goma de mandioca hidratada)
1 colher (sopa) de farinha de amaranto
1 colher (sobremesa) de tahine (pasta de gergelim)
1 colher (sopa) de xarope de agave
1 banana picada

Modo de preparo:
Incorpore a farinha de tapioca com a farinha de amaranto e coloque a mistura em uma frigideira bem quente. Deixe grudar e vire, acrescentando a banana, o tahine e o agave. Feche e sirva.

Por que usar o amaranto na receita?
“O grão é tão completo que assemelha-se à combinação arroz com feijão. Tudo porque, assim como o feijão, é rico em proteína. E, como o arroz, também possui aminoácidos, moléculas orgânicas essenciais para o nosso corpo. Ele não contém glúten e pode ser encontrado na forma de grão, flocos e farinha”, explica Fernanda.

Pizza de Tapioca – Margherita

Na Cervejaria Devassa o que parece uma pizza diferente é uma receita irresistível de tapioca salgada com recheio marguerita. Anote a receita do chef Claudio Albuquerque que rende uma porção:

Para fazer a massa da tapioca:
Ingredientes:
200g de goma de tapioca
½ colher de chá de orégano

Modo de preparo:
Em um recipiente, junte a goma e o orégano e misture. Preaqueça o tabuleiro em fogo baixo e passe a goma na peneira sobre o tabuleiro, cobrindo todo o tabuleiro. Deixe a goma dar liga e vire de lado. Quando os dois lados estiverem unidos, significa que a massa está pronta. Reserve.

Para fazer o recheio marguerita:
Ingredientes:
1 massa de tapioca
160g de mussarela ralada
8 pedaços de tomate (cortado em meia-lua)
½ colher (chá) de orégano
8 folhas de manjericão
1/3 xícara de molho de tomate

Modo de preparo:
Coloque a massa da tapioca no tabuleiro e espalhe a mussarela ralada sobre a massa. Acrescente o molho de tomate e espalhe, distribuindo, em seguida, os pedaços de tomate. Leve ao forno a 180ºC, por 5 minutos, ou até que o queijo esteja derretido. Retire do forno, coloque as folhas de manjericão e o orégano. Prontinho, a tapioca de marguerita está pronta para servir!

Fonte:
http://gnt.globo.com/bem-estar/dicas/Tapioca–quatro-motivos-para-incluir-o-alimento-na-sua-rotina.shtml

 

O Mago Aznaturas, contemporâneo de Paracelso, dedicou grande parte de sua vida e estudar e tentar entender os mistérios do misticismo, das alegorias e das figuras utilizadas religiosamente para os mais diversos fins, no repertório das Simpatias Populares da sua época.

Afirmava ele que a ciência desmente até hoje, que existe um tipo de vida diferente daquela que conhecemos e que esse tipo de vida, basicamente constituído de energia, é muito maleável e pode ser direcionado apenas com a força do pensamento ou do desejo pura e simplesmente.

Segundo o Mago, esse tipo de vida estava agregado aos objetos e às coisas de um modo geral, dando-lhes uma personalidade própria, uma força diferente de um outro objeto com a mesma constituição formato e uso.

Uma faca que tivesse conhecido sangue humano, por exemplo, teria muito mais poder, positivo ou negativo, do que uma outra, utilizada apenas nas tarefas rotineiras da cozinha.


Indo mais a fundo, principalmente depois de uma permanência no Oriente, por volta de 1540, Aznaturas percebeu que esse tipo de vida estava além do objeto em si e representava uma série de fatores agregados a ele durante a sua existência.(Fonte: A casa do mago)