Na minha opinião: Violência Doméstica

Foto mostrando rosto de mulher agredida
Chega de violência!

“Não é fácil denunciar alguém que você escolheu para ser seu companheiro, dividir seus sonhos, ter filhos. É fácil denunciar um desconhecido da esquina, não um filho, um pai agressor”

Leia a história completa e dê a sua opinião. Se quiser, coloque apenas um pseudônimo, seus dados serão mantidos em segredo.
Queremos saber a sua opinião e de repente a sua história. Depois de ler clique em Comentar.

A história de hoje:
Meu nome é N. e tenho 32 anos. Tenho marcas profundas pelo corpo, vítima de agressões do meu companheiro, que desde que nasceu nosso terceiro filho, começou a espancar-me sem nenhum motivo. As primeiras discussões começaram com agressões verbais da parte dele que me deixava humilhada pois ele me ofendia com tudo que é palavrão. Aindo no resguardo do nosso filho, ele cheirando a álcool, deu me um tapa enquanto amamentava o nosso filho que por pouco não fez com que eu largasse a criança, tamanha a força… Chorei mais de raiva do que da dor, e ele, ainda meio que assustado(pelo menos parecia, pediu mil desculpas e eu depois de uma semana, acabei deixando pra lá com a promessa dele de que nunca mais agiria assim.
Mas, poucas semanas depois, ele voltou a me agredir…bateu-me muito na frente dos nossos filhos com uma cinta e do lado da fivela, que marcou muito o meu corpo…
Fiquei caida no chão, amparada pelas mãozinhas do meu filho de 4 anos que chorava desesperadamente…
No dia seguinte pedi que ele saísse de casa, disse que iria ao Fórum pedir a nossa separação…ele saiu de casa me ameaçando. Disse que se eu fosse ao Forum ele me mataria e mataria os filhos junto. Diante das ameaças permaneci na casa e tentando manter me a distância daquele homem que amei muito e que hoje não reconhecia.

Desde então, sofro agressões físicas e morais, pois além de me bater, ofende com palavrões e gritos. Já tem mais de 2 anos e cheguei em um ponto que não aguento mais.
O que me segura ainda são as ameaças…ele insiste em dizer que vai me matar e matar os nossos filhos e é por eles que resisto. Sei que ele comprou uma arma…

Pouco tempo atrás, minha vizinha, vítima do marido que também a espancava, denunciou o espancamento que sofreu na delegacia da Mulher e na mesma noite, após ser ouvido na Delegacia, ele voltou em casa e matou a mulher com 5 tiros e fugiu para alguma cidade lá pros fundos do mundo onde mora a sua família e não se sabe onde se encontra.
É disso que eu tenho medo. Não tenho renda, não temos casa própria, não tenho parentes a quem recorrer.
O que eu posso fazer?
Já pensei até em colocar veneno na comida dele, mas me falta coragem…
Quero ouvir a sua opinião!


26 comentários sobre “Na minha opinião: Violência Doméstica

  1. Que situação mais complicada dessa criatura! Deus tenha misericórdia desse ser….ela é Tua filha Senhor!!!
    Eu acho que ela devería ter tomado alguma atitude desde o momento em que ele começou com as agressões….
    Ele fez uma, duas vezes, pronto aí nesse caso não irá parar mais…E se isso continuar ela estará prejudicando não só a ela, mas tbm aos seus filhos, que presenciam uma barbárie dessas e podem sofrer desvios de conduta…Podem qdo crescer se tornar uma pessoa de difícil convivencia , revoltadas, medrosas e até querer imitar o pai ….Temos que ter muito cuidado com o que fazemos , pois as criaças costumam imitar os pais, elas observam tudo…e fica registrado em sua memória….Portanto, ela deve pedir ajuda denunciá-lo sim, e sair da vida dele, senão ela acabará morta mesmo , porque morta ela já está por dentro….A covardia nos enfraquece e nos deixa mortos na alma…e a alma tem vida!!! Ela precisa se rebelar, tomar coragem, pedir a Deus que lhe dê forças e sabedoria para sair dessa situação! Ela jamais deve deixar que algo de pior aconteça…. Alguém precisa denunciar esse monstro!!!

  2. Pelo que eu sei a lei Maria daPenha não tem funcionado Neste nosso Brasil Onde as pessoas não pode contar com nenhum tipo de segurança.Ela deve denuuncia-lo à Delegacia da Mulher e depois arrumar seus pertences ,os mais essenciais p/ ela eas crianças e irp/ casa de um parente entrar na justiça tem advogado do estado que não cobra nada e pedir imediatamente separação de corpos.Não pode perder tempo.tem q.agir rápido.Espero ter ajudado!!!!!

  3. O ideal é ela procurar a Delegacia da Mulher e fazer a denuncia, ja que ele comprou uma arma não é com boas intenções. Denuncie-o antes que seja tarde demais.

  4. Eu vivi isso por 3 anos, sofri muito me deixou mágoas imensas no coração. Também fui ameaçada e ele ameaçava meu filho que é nosso ponto fraco, não terminava o relacionamento por medo(ele também tinha arma). Até que um dia resolvi envolver outras pessoas na histórias…mandei grampear o telefone de casa pela polícia o que acabou gravando o que ele me falava ao telefone(ofensas, ameaças, que ia me encher de bala).
    Foi assim que consegui fazer ele sair de casa, entrei com medida protetiva, troquei todos os telefones de casa. Ele sumiu desde fevereiro… espero ter ajudado. Muita força

  5. Oi, companheira! Antes de recorrer à justiça, sugiro que vc procure um grupo de autoajuda (o mada) para se libertar dessa dependência emocional e resgatar sua autoestima. Depois, denuncie-o a polícia. Mesmo que não tenha condições financeiras de se sustentar, tente se refugiar em um dos abrigos especializados em mulheres espancadas.

    Um abraço e felicidades

  6. Ja passei por uma situação parecida, me separei e nunca mais consegui ser feliz, nem com outras pessoas,me senti durante muito tempo um lixo,hoje meu filho de 24 anos me trata assim do mesmo jeito que o pai,me chamando de prostituta,ele ja foi presso e fiz ate hoje o melhor por ele,sempre fiz o que achei certo,não sei qual a providencia que devo tomar,me ajudem.

Comentários estão encerrado.