Na incerteza do relacionamento,
na dúvida sobre o que haveremos de comer amanhã,
no tormento da separação dolorosa,
na provação da doença que maltrata,
nas noite insones que custa a passar,
nos dias que se seguem iguais, na solidão.

Nos momentos mais difíceis, onde tudo parece sem saída,
faça da oração um escudo em que nos revestimos,
de esperanças renovadas e desejos de mudança.
Toda mudança quase sempre é dolorosa,
exige esforço, paciência e determinação.



A oração reúne benefícios que os olhos não vêem,
as máquinas não registram, as fotos não captam,
mas a alma aflita sereniza,
o cérebro registra,
e a vida, fruto de uma Graça maior que o seu entendimento,
se restabelece com suavidade.
Da dor, resta o aprendizado,
da oração, uma certeza:

– A fé na sua essência, inocente e verdadeira move as nossas montanhas interiores, trazendo paz e conquistas duradouras.
Não desanime!
Na dúvida, ore mais um pouco.

Paulo Roberto Gaefke escreveu pra você em 12/10/2012