Violência contra a vida

bannercravi

O CRAVI – Centro de Referência e Apoio à Vítima realiza atendimento público a  vítimas diretas e indiretas de crimes contra a vida, violência doméstica e sexual.

Endereço e funcionamento: O Cravi atende na Rua da Barra Funda, 1032 – Barra Funda – São Paulo, de segunda à sexta, das 9 às 18 horas, com agendamento prévio por telefone.

Contato: Telefones: (11) 3666 7778, 3666 7960 e 3666 7334. e-mail: cravi@justica.sp.gov.br

O Cravi – Centro de Referência e Apoio à Vítima é um programa da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.

Por meio de intervenções jurídicas, sociais e terapêuticas, o Cravi contribui na superação dos danos causados pela violência e na prevenção. Bem como apóia e orienta aqueles que querem contribuir como testemunhas para a promoção da Justiça. Tem como objetivo dar visibilidade às vítimas de violência, inclusive aquelas indiretamente afetadas, como é o caso dos familiares de vítimas de homicídio.

O Centro de Referência e Apoio à Vítima tem como objetivo geral identificar, compreender e atender as demandas por Justiça e direitos humanos. Outro aspecto importante deste trabalho é o caráter preventivo, favorecendo alternativas para a vivência da perda violenta e rompendo ciclos de violência.

POPULAÇÃO ATENDIDASão atendidas as vítimas e familiares de vítimas de crimes como homicídio (consumado e tentado), Latrocínio (consumado e tentado), Lesão corporal grave e Ameaça (com risco à vida ou integridade). Consideram-se familiares o Cônjuge, companheiro ou companheira, bem como o ascendente e descendente em qualquer grau, ou colateral até o terceiro grau, por consangüinidade ou afinidade, que possuam relação de dependência econômica e/ou ligação afetiva com a vítima direta. Este recorte é referencial, pois entendemos que os efeitos nocivos da violência grave repercutem independentemente da formalidade do vínculo.

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +