Simpatias antigas para o encontro com o amor

A força do conhecimento dos mais velhos chegam até você

Eu adoro as Simpatias das antigas..e acho que essas é que realmente funcionam.
Parece que o povo antigo sabia bem como produzir efeitos verdadeiros quando queriam alguma coisa.
Essas 3 simpatias são para o amor. A primeira é para aqueles relacionamentos chove não molha e a pessoa quer logo uma decisão de amor.
A segunda é para relacionamento que terminou e ainda está doendo.
A terceira é para Fortalecer o amor do casal. Nesses tempos onde os olhos da vizinha e do vizinho são maiores que a a amizade, é sempre bom se prevenir.
Peça agora e experimente! Receba gratuitamente em seu e-mail:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)





O Mago Aznaturas, contemporâneo de Paracelso, dedicou grande parte de sua vida e estudar e tentar entender os mistérios do misticismo, das alegorias e das figuras utilizadas religiosamente para os mais diversos fins, no repertório das Simpatias Populares da sua época.

Afirmava ele que a ciência desmente até hoje, que existe um tipo de vida diferente daquela que conhecemos e que esse tipo de vida, basicamente constituído de energia, é muito maleável e pode ser direcionado apenas com a força do pensamento ou do desejo pura e simplesmente.

Segundo o Mago, esse tipo de vida estava agregado aos objetos e às coisas de um modo geral, dando-lhes uma personalidade própria, uma força diferente de um outro objeto com a mesma constituição formato e uso.

Uma faca que tivesse conhecido sangue humano, por exemplo, teria muito mais poder, positivo ou negativo, do que uma outra, utilizada apenas nas tarefas rotineiras da cozinha.







Indo mais a fundo, principalmente depois de uma permanência no Oriente, por volta de 1540, Aznaturas percebeu que esse tipo de vida estava além do objeto em si e representava uma série de fatores agregados a ele durante a sua existência.(Fonte: A casa do mago)

Deixe seu comentário. Facebook.
image_pdfimage_print

Comments are closed.

About Gaefke

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +