Quem é o verdadeiro autor

Este é um trabalho super legal encabeçado pela Rosângela Aliberti e um grupo de amigos que buscou o verdadeiro autor de diversos textos(inclusive os meus) que circulam com autoria trocada.
Ao final temos alguns ainda que não descobrimos a autoria e se você quiser ajudar, seja bem-vindo-(a).

 

LISTA DE TEXTOS com autorias trocadas e/ou falta do devido destaque aos verdadeiros “circulando na net”
– “A alma diferente” – (Artur da Távola) …os vulgos Ser diferente e/ou A alma dos diferentes contém enxertos.
– “A arte de gostar de uma mulher” – (Rafael Marti)
–  “A obsessão por ser perfeita” – (Martha Medeiros) c/ matéria para revista Claudia cujo título é “Mulher Nota 9” o texto foi reduzido e publicado no jornal com o título “Miss Imperfeita”.
– “A Concha” – (Vitório Nemésio, não repassar como Fernando Pessoa)
– “A Cor” ou “Meu amigo branco” – (Léopold Sédar Senghor / Texto fala sobre como o branco muda de cor de acordo com as ocasiões)
– “A elegância do comportamento” – (é a crônica Avec Elegance de Martha Medeiros)
– “A fábula dos dois sapos – (Neil Eskelin)
– “A fé ri das impossibilidades” (C.T. Studd)
– “A galinha ruiva/The Little Red Hen – (Joseph Jacobs, …Fábula moderna – La gallinita y el pan não foram escritas por Ronald Reagen, idéia enxertada de origem desconhecida)
– “A gente não faz amigos, reconhece-os” – (Garth Henrichs, não é de Vinicius de Moraes)
– “A Impontualidade do Amor” – (Martha Medeiros)
– “A parábola do cavalo” – (Legrand)
– “A massacrante felicidade dos outros – (Martha Medeiros), incorretos: A felicidade dos outros e/ou Festa de apartamento
– “A morte não é nada./Eu somente passei/para o outro lado do Caminho(…) vide: Death is nothing at all I have only slipped away into the next room I am I and you are you (…) – (Henry Scott Holland)
– “AFINIDADE… (Artur da Távola), não é poesia, não possui constante citação do substantivo afinidade e não se escreve A finidade”
– “Aprendi no Jardim de Infância… /ALL I REALLY NEED TO KNOW I LEARNED IN KINDERGARTEN” – (Robert Fulghum, não é de Pedro Bial)
– “Morre Lentamente” – (Martha Medeiros, título correto: A Morte Devagar, não é Neruda)
– “A Prece da Árvore”  – Walter Rossi
– “A realidade é que não te amo com os meus olhos que descobrem em ti mil falhas..” – (Shakespeare)
– “A Verdade Sobre Romeu e Julieta” – (Francine Bittencourt de Oliveira)
– “A voz do silêncio“ – Martha Medeiros
– “Ainda Bem Que Eu Dei” – (Daniela Mel/ O título correto é: “Trilogia sobre a arte de dar”)
– “Almas Perfumadas” – (Ana Cláudia Saldanha Jácomo, não é de C. Drummond de Andrade)
– “Alta Tensão” ou “Gosto dos venenos mais lentos…” – (Bruna Lombardi) final que vem sendo repassado é de autor desconhecido não é de Lispector.

– “Amai, por que nada melhor para a saúde que um amor correspondido.” (Vinícius de Moraes, não é de Tom Jobim)
– “Amar ou Ser Amado” – (Gisilaine Andrade)
– “Amigo, Um Ensaio” – (Marcelo Batalha …não é de Rachel de Queiroz, nem de  Vinicius de Moraes, nem de Autor Desconhecido)
– “Amor é síntese” – (Mirthes Mathias, não é de Mario Quintana)
– “Amores Mal Resolvidos” – (Martha Medeiros/ O título correto é: “Até a Rapa”)
– “Aprendi” – (Verônica A. Shoffstal /também conhecido como “Depois de um tempo”, ñ é de Shakespeare)
– “As almas se encontram nos lábios dos enamorados” – (Percy Bysshe Shelley)
– “Barriga é Barriga” – (Celso Sanches, não é de Jabor)

– “BONS AMIGOS”, não é de Machado de Assis (vulgo) Título: Benditos por Isabel Machado.
– “Bunda Dura” – (Ailin Aleixo/ O título correto é: “Ode à bunda dura” não é de Jabor)
– “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é” – (Caetano Veloso)
– “Canção” – (Emilio Moura/Texto conhecido como: “Viver não dói” – Inspirou o texto chamado “Possibilidades perdidas” de Martha Medeiros)
– “Caso Isabella: a dor da falta de sentido” – (no s(a)ite oficial do Jabor na CBN)
– “Certeza” ou “De tudo, ficaram 3 coisas…” – (Fernando Sabino / Trecho do livro “O Encontro Marcado”)
– “Certezas” ou “Não quero que alguém morra de amor por mim” – (Adriana Britto, não é de Mario Quintana)
– “Círculos Fechados” – (Gloria Hurtado, não é de Paulo Coelho)
– “Ciclo da Vida e/ou Life Cycle” – (Sean Morey/ Texto que diz: “A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina…”) não é de Chaplin
– “Com o tempo” ou “Correr atrás das borboletas” – (Kátia Cruz/ A frase: “O segredo não é correr atrás das borboletas…” é de D.Elhers) não é de Mario Quintana.
– “Currículo” (não é de Juliana Spadotto / Texto que fala: “Eu já dei risada até a barriga doer…”) editado in: Como é que é? (2003) por Félix Coronel.
–  “Daí-me, Senhor, a perseverança das ondas do mar (…) Trecho de: – Gabriela Mistral
– “Dá um abraço?” – (TrovadorPR ou Wilfredo) vulgo: Queria um abraço hoje, não é de Vinicius de Moraes
– “Dar Não é Fazer Amor” – (Tatiane Bernardi / O título correto é: “Pout-pourri de assunto”)
– “Decifra-me ou Devora-me” – (Paula Campos)
– “Deficiências” – (Renata Vilella, não é de Quintana)
– “Depoimento Sobre as Drogas / Pagodeaxéfunk.. Drogas da Pesada!” – (Vitor Trucco).
– “Desarmamento / Aprenda a Chamar a Polícia” – (Rossano Cancelier)
– “Desiderata” (Max Ehrmann, não é de Autor desconhecido)
– “Deus costuma usar a solidão para nos ensinar sobre…” – (Paulo Coelho)
– “Dicas de Beleza” – (Sam Levenson …não é de Audrey Hepburn)
– “Do Flerte ao Casamento” – (Bond Bilau)
– “Dúvidas Pascoais” – (Antonio Rocha Neto)
– “E tudo mudou…” – (Deanna Troi)
– “Ei Sorria” –  (Cris Passinato, não é de Chaplin)
– “É apenas um cão…” – (Richard Biby)
– “Espero uma filha” – (Alessandro Eloy Braga)
– “Eu aprendi” – (procure entrar em contato com as obras de H. Jackson Brown Jr.) …não é de Andy Rooney nem de Shakespeare.
– “Eu sei, mas não devia” – (Marina Colassanti)
– “Eu te amo não diz tudo” ou “Saber Amar” – (Martha Medeiros)
– “ELA SE APAIXONOU” – (Artur da Távola) “vulgos na net”: Mulher Apaixonada e/ou A mulher apaixonada)
– “Faz parte” ou “Vergonha de ser brasileiro” – (Cozete Gelli Toledo)
– “Felicidade pode demorar” (vulgo título = A vida e o Amor de François Bitencourt, não é Luis Fernando Verissimo)
– “Felicidade realista” – (Martha Medeiros) não é de Quintana
– “Filtro Solar” – (Mary Schmich/ música de: Baz Luhrmann), não é de Pedro Bial/somente a narração)
– “FINAL DE ATO” – (Marilita Pozzoli)
– “Focinhos” – (Claudia Zippin Ferri)
– Frase: “Como são admiráveis as pessoas que não conhecemos muito bem.” (Millôr Fernandes)
– Frase de versos: “Não tenho mais tempo algum,/ser feliz me consome…” – (Adélia Prado) não é de Lispector
– Frase:” Passamos a amar não quando encontramos uma pessoa perfeita (…) – (Sam Keen)
– “Gosto de você” (não é de Artur da Távola) autor desconhecido até agora
– “Há apenas duas coisas na vida que vocês têm que fazer. Vocês têm que morrer e fazer escolhas.” – ( James C. Hunter / Está no livro “O monge e o Executivo”)
– “Há quatro coisas que não voltam atrás:(…)” – (Horacio Riminaldo)
– “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas..” – (Fernando Teixeira de Andrade) …na tattoo na Play Boy/a Cleo Pìres, não tem nem nenhum poema de Fernando Pessoa
– “Hábitos Saudáveis” ou “Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro…” – (AmronZinum)
– “Hipocondríaco” – (Silvio Lach), não é de Luis Fernando Verissimo
– “Idade para ser feliz” – (Geraldo Eustáquio de Souza) não é de Mario Quintana
– “Instantes” – (Don Herold) não é de Jorge Luis Borges, nem Nadine Stair
– “La Marioneta” – (Johnny Welch) …não é de Gabriel García Marquez
– “Let Us Keep Christmas” – (Grace Noll Crowell)
– “Loucos e Santos” – (atribuído a Marcos Lara Resende, não é de Oscar Wilde)

– “Manual de Preservação da Espécie” – Fábio Reynol, não é de Fernanda Montenegro
– “Me encante” – (Silvana Duboc , não é de Neruda, nem de F. Pessoa)
– “Me leva” – (Ronaldo Leitão)
– “Meu nome é mulher” – (Fátima Aparecida Santos de Souza)
– “Minha inguinorância é probrema meu” – (Rosana Hermann)
– “Mude” – (Edson Marques, não é de Clarice Lispector)
– “Mulheres Modernas / Mulheres Empresárias” – (Arnaldo Jabor)
– “Nascestes no lar que precisavas” título correto Reprogramação (psicografia de Francisco do Espírito Santo Neto/ditado por Hammed) …não é de Chico Xavier
– “Namoro em Tempos Modernos / Árvore Genealógica” – (Bond Bilau)

– “Não me dê conselhos sei errar sozinho” (não é de Salvador Dali, autor: Genival Lacerda)
– “Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez.” – (Jean Cocteau).
– “Navegue” – (Silvana Duboc, não é Fernando Pessoa)
– “Ninguém é tão forte que nunca tenha chorado…” – (atribuído a Reinilson Câmara)
– “Ninguém é dono da sua felicidade,/por isso não entregue sua alegria, sua paz,/ sua vida nas mãos de ninguém (…)” Paulo Roberto Gaefke, no texto Revolução da Alma
– “Nem tudo é fácil” – (Glácia Daibert, não é de Cecília Meireles)
– “O Direito do Palavrão” – (Pedro Ivo Resende)

– “O Laço e o Abraço” – (não é de Mario Quintana, a autora é Maria Beatriz
Marinho Anjos)
– “O Luar” (poesia de Quintana enxertada desprezando os três títulos a seguir), procure ler de Mario Quintana: VERSO AVULSO/ A SAUDADE/O BERÇO E O TERREMOTO.
– “O milagre de um dia e/ou A New Day” – atribuído a Kirk McJay, na versão livre de Silvia Schimdt, não é de Charles Chaplin
– “O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença.” – (Elie Wiesel) não é de Érico Verissimo
– “O poder desarmado” – (Heloneida Studart) não é de Rita Lee
– “O que é peripatético” – (Max Gehringer e Laila Vanetti) Título incorreto: Jesus é peripatético
– “O Que Faz Bem À Saúde / Previna-se” – (Martha Medeiros) não é de autor desconhecido
– “O sabor da vida ou Não coma de garfo e faca..” – (parte do texto é atribuída a Roberto Shinyashiki).
– “O segredo não é correr atrás das borboletas, é cuidar do jardim pra que elas venham até você” – (D.Elhers) não é de Quintana
– “O tempo que foge!”(Ricardo Gondim, no s(a)ite oficial) não é de Rubem Alves
– “O Verbo For” – (João Ubaldo Ribeiro)
– “Ode a Bunda Dura e/ou Melancia” – (Ailin Aleixo) não é de Jabor
– “Orgasmo trifásico” (Ricardo Nunes), título correto: Orgasmo feminino ñ é de Millôr Fernandes.
– “Os Olhos” – (Machado de Assis)
– “Os olhos da cara” – (Martha Medeiros), Juventude eterna contém enxertos.
– “Os Votos” conhecido como: ”Desejo primeiro, que você ame…” (Sérgio Jockymann) não é de Victor Hugo
– “Pai Nosso Estendido” – (Edmilson Duarte Rocha)
– “Para que serve uma relação?” (Martha Medeiros)
– “Pedaços de Amizade” – (Letícia Thompson)
– “PEGADAS NA AREIA” – (Mary Stevenson)
– “Pedindo Uma Pizza em 2009” – (Daniel Kurtzman)
– “Pedras no caminho? Guardo todas, um dia construirei um castelo” – (Nemo Nox, não é de F. Pessoa)
– “Pequeno Tratado sobre a Mortalidade do Amor” – (Alexandre Inagaki/ Também conhecido como: “Morre um amor”)

– “Perdoar primeiro, julgar depois. /Amar primeiro, educar depois. Esquecer primeiro, aprender depois” (Autor: Paulo Roberto do Carmo)
– “Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura” – (Fernando Pessoa no heterônimo de Alberto Caeiro em “O Guardador de Rebanhos”).
– “Possibilidades perdidas” – (Martha Medeiros/ Texto conhecido como: ”Viver não dói” – O enxerto final que diz: “A cada dia que vivo mais me convenço de que o desperdício da vida… Esta no amor que não damos, nas forças que não usamos…” é de Mary Cholmondeley / E a frase final: “A dor é inevitável, o sofrimento é opcional” é de Tim Hansel)
– “Preciso de Alguém” – (Cris Passinato) não é Chaplin
– “Precisa-se de mão de obra para construir um país” – (Pablo Teach)
– “Proctologista / Pedido de Amigo” – (Jacob El-Mokdisi/ A versão original desse texto é de autoria de: J.Miguel)
– “Promessas Matrimoniais” – (Martha Medeiros)
– “Quando Alguém” – (David Miranda)
– “Quando me amei de verdade” – (Kim McMillen) não é de Chaplin
– “Quantas vezes” – (Elizete Pereira)
– “Quanto mais às coisas mudam, mais elas se tornam as mesmas” – (Alphonse Karr).
– “Quase” – (Sarah Westphal Batista) não é Luis Fernando Verissimo
– “Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação” – (Provérbio Árabe)
– “Querido diário” – (Patrícia Daltro / O texto descreve o diário da autora fazendo uma dieta)
– “Quero ser teu amigo, nem de mais nem de menos…” – (“Poema do Amigo Aprendiz” é um poema apócrifo vide a Saudação de Amigo de Padre Zezinho).
– “Receita de Ano Novo” – (Carlos Drummond de Andrade)
– “Receita de mulher” – (Vinicius de Moraes), fragmentos na voz de Paulo Autran
“Recomeçar” ou “Faxina na Alma” – (Paulo Roberto Gaefke/ A frase final: “Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.” é Alberto Caeiro/Fernando Pessoa)
– “Reencontros” – (Tania Lemke) não é de Autor Desconhecido
– “Relançando Mamãe” – Ricardo Freire
– “Rifa-se um coração” – (Ricardo Labatt) não é Lispector
– “Sacanagem” ou “O amor só acontece antes dos 30” – (Martha Medeiros)
– “Salmo do amanhecer” – (Dionísio Furtes Alvarez) vulgo: Amanhecer, não foi escrito por Chico Xavier
– “Saudade” – (Martha Medeiros / O título correto é: “A dor que dói mais”)

– “Se” – não é de Paulo Neruda, nem de Paulo André Neves (PT), vide a primeira e a última estrofe do soneto do autor: Douglas Malloch

– “SE NÃO HOUVER FRUTOS VALEU A BELEZA DAS FLORES (…)” – (Maurício Ceolin), está contido no livro de Henfil, mas não foi ele quem escreveu.
– “Segue o teu destino” – (Ricardo Reis/Fernando Pessoa) …”A quem me deu perfume,/ A quem me deu sentido = apócrifo.
– “Seja idiota” – (Ailin Aleixo, não é de Camila Garcia, nem de A. Jabor)
– “Sentir-se amado” – (Martha Medeiros)
– “Ser Feliz” ou “A Felicidade exige Valentia” – (Augusto Cury /Texto que fala: ”Posso ter defeitos, viver ansioso…”/A frase final: “Pedras no caminho? Guardo todas, um dia construirei um castelo” é do Nemo Nox)
– “Sermão do Casamento” – (Martha Medeiros / O título correto é: “Casamento na Igreja”)
– “Sinto vergonha de mim” – (Cleide Canton …não é de Rui Barbosa)
– “Solidão” – (Fátima Irene Pinto / Texto que diz: “Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado…” não é de Chico Buarque)
– “Sotaque mineiro: é ilegal, imoral ou engorda?” – Felipe Peixoto Braga Netto (vulgo: As Mineiras)
– “Somos donos de nossos atos, mas não donos dos nossos sentimentos…” – (Rubem Alves)
– “Talvez” (Sônia Carvalho, não é de Aristóteles Onassis)
– “Tantra/Totem de Nepal/ Karma” – (H Jackson Brown Jr), não é de Dalai Lama
– “Tenho Amigos” – (Paulo Sant’Anna/O título correto é: “Meus secretos amigos” não é de Vinicius de Moraes)
– “Tempo em fatias” (não é de Drummond / autor: Roberto Pompeu de Toledo
– “Ter ou não ter namorado” – (Artur da Távola)
– “Tipo Assim” – (Kledir Ramil)
– “Torcida” – (Liliana Barabino, não  é de Drummond)
– “Trem da Vida” – (Silvana Duboc)
– “Tu não compras nem a alegria, nem a saúde, nem o amor verdadeiro. Não compra as estrelas.” (Até agora é de autor desconhecido, não é de Antoinde Saint-Exupéry)
– “Tudo o que sou não é mais do que abismo (…) – (Fernando Pessoa)
– “Um Dia de Modess” – (Rolinha, não é de Luis Fernando Verissimo)
– “Um dia sei que irei me separar dos meus amigos…“ ou “Enquanto houver amizade” – (Fernanda Lima Molina)
– “Um Toque Místico Para Iluminar o seu Dia” – (Tahyane Rangel, não é de autor desconhecido)
– “Vaidade” – (Rosana Hermann, não é Herbet Viana)
– “Vassuncês diga o que é” – (Catulo da Paixão Cearense)
– “Verão Chegando” / “The Summer is Tragic!” – (Rosana Hermann)
– “VOCÊ SABE OUVIR?” – Artur da Távola
– “Vossos filhos não são vossos filhos (…)” – (Khalil Gibran, em o Profeta – “Dos Filhos”)
*

Autores ainda desconhecidos (Autor Desconhecido = AD) e/ou Em busca da Autoria

– “13 linhas para viver” (não é de Gabriel Garcia Marquez, autoria desconhecida até agora)
– “A felicidade vai demorar” (vulgo título =  A Vida e o Amor do autor François de Bitencourt)
– “A Pessoa Errada” AD
– “A Renovação da Águia” (lenda de autor desconhecido, vide o s(a)ite quatrocantos)
– “A vida é feita de instantes, de surpresas, de ventanias fortes…”.
– A vida é como jogar uma bola na parede: (não é de Einstein)
– “A vida é uma peça de teatro…” (não é de Chaplin, em busca da autoria)
– “Algo sobre o amor” AD
– “Amadurecimento”  AD
– “As melhores mulheres pertencem aos homens mais atrevidos…”
– “As três peneiras”  In The Children’s Story Garden. Stories collected by a committee of the Philadelphia Yearly Meeting — Anna Pettit Broomell, Emily Cooper Johnson, Elizabeth W. Collins, Alice Hall Paxson, Annie Hillborn, and Anna D. White. Illustrated by Katharine Richardson Wireman and Eugénie M. Wireman. Published in 1920 by J. B. Lippincott Company, Philadelphia.
– “Às Vezes” / “Quando o Coração Dói Até Sangrar”
– “Ainda não estou preparado para perder-te” não é de Neruda, (esperando confirmação para Gian Franco Pagliari)
– “Big Brother Brasil 4”
– “Bons amigos” (não é de Machado de Assis, vide acima)
– “Canção da Mulheres” – (Lya Luft)
– “Casamento Moderno” AD
– “Como manter-se jovem/HOW TO STAY YOUNG” – Autor Desconhecido/(Author unknown)
– “Conselhos de um Velho Apaixonado” (não é de Drummond, em busca da autoria)
– “Conto de fadas para as mulheres do século XXI” (não é de LFV)
– “Conversa entre pai e filho em 2031” AD
–  “Degustação de vinho em Minas e/ou O MINERIM E O DEGUSTADOR DE VINHO”
– “Descubra o amor” (não é de Gandhi)
– “Desabafo de um Marido” AD
– “Desejos” ou “Síntese da Felicidade”
– “Dez Coisas Que Levei Anos Para Aprender” AD
– “Distância e/ou Parábola de Gandhi (não é de Gandhi)
– “Dos e/ou Dois” (não é de Pablo Neruda)
– “Duas escolhas”  AD
– “E tudo mudou” AD
– “Eu envelheci” AD
– “Entrevista com Deus” AD
– “Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo…” = incorreto, o correto é: (…) eterno é tudo aquilo que vive uma fração de segundo/mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força o resgata (…).”(Carlos Drummond de Andrade, in: Fazendeiro do Ar, p. 408)
–  “Falo a língua dos loucos” AD
– “Fechei os olhos para não te ver…” (A frase final: “O amor é quando a gente mora um no outro” é de Mario Quintana)
– “Feliz Olhar Novo” não é de Drummond AD
– “Fica proibido/ Queda probhido” – (Alfredo Cuervo Barrero) não é de Pablo Neruda
– “Fluxo da Vida” AD
–  “Foda-se”/ “Fodeu-se” (não é nem de Millôr Fernandes nem de LFV)
– “Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém…” AD
– “Homenagem as mulheres e/ou Porque as mulheres são importantes” – (não é de Neruda, vide: Mujeres de Pablo Neruda)
– “Homem & Mulher” (s/ referencial para Victor Hugo)
– “Já perdoei erros quase imperdoáveis…” (Augusto Branco) não é de Chaplin
– “Mulheres” (não é Luis Fernando Verissimo)
– “Na solidão da penumbra do amanhecer…” AD
– “Nada como a Simplicidade…” AD
– “Não me dêem fórmulas certas, porque eu NÃO ESPERO ACERTAR SEMPRE. (…)
– “Não te amo mais” (poema que se lê também de baixo para cima, não é de Clarice Lispector)
– “Não sei” e/ou “Saber Viver” (ñ é de Cora Coralina) “Não sei se a vida é curta ou longa demais para nós…(…)” vide + falsas atribuições em ARTIGOS
– “Necessidades Sexuais / Marte e Vênus” (não é Luis Fernando Verissimo)
– “Nossa loucura é a mais sensata das emoções…” AD
– “O amor no terceiro milênio/Sobre estar sozinho… (Flavio Gikovate, vulgo SAWABONA)
– “O primeiro Viagra a gente nunca esquece” AD
– “O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis” – não é de Fernando Pessoa, nem é de Fernando Sabino
Citado por MARIA JULIA PAES DE SILVA,
In: “Qual o tempo do cuidado?” Edições Loyola, 2004,
p. 49 ISBN 8515029987, 9788515029983 = ou seja AD
– “O Viajante e/ou Se beber, não dirija” (não é do Joelmir Beting)
– “Os ventos, que as vezes tiram algo que amamos,são os mesmos que (…)“ AD
– “O vaso de porcelana” não é de Paulo Coelho, segundo o Instituto Paulo Coelho, uma leitora enviou o texto acima ao escritor e foi publicado em uma de suas colunas.
– “Oração da Manhã contida na Oração do Ano Novo” Senhor, no silêncio deste dia que amanhece (…) AD
– “Oração dos Desesperados / Oração dos Estressados” (não é Luis Fernando Verissimo) AD
– “Papo de amigas ao telefone” (não é de Luis Fernando Verissimo)
– “Poema da mente deficiente” (não é de Affonso Romano Sant’Anna)
– “Precisando de Amor” AD
– “Procura-se um amigo” (não é de Vinicius de Moraes) AD
– “Psicólogo…” (Trecho: psicólogo …não adoece, somatiza./Psicólogo não estuda, sublima)
– “Que cada amanhecer do seu dia…” AD
– “Quem Sou Eu?/Decifra-me/Apresentação do Amor/O amor/AMOR BANDIDO/MEU HERÓI… Título correto: “Desvenda-me” autora: LENYA TERRA
– “Reverência ao Destino” / “Fácil x Difícil” – não é de Drummond
– “Receita de Jovialidade” – não é de Pablo Picasso AD
– “Saudade é a solidão acompanhada…” (Fala do personagem Poeta Afonso Henriques, na novela Fera Ferida escrita por: Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares e Ana Maria Moretzsohn) não é de Pablo Neruda
– “Satânico é meu pensamento a teu respeito […]” – não é Drummond, é de autor desconhecido AD
– “Se todos tubarões fossem homens” (É de Bertold Brecht)
– “Se eu pudesse… (não é de Gandhi) AD
– “Sentir primeiro, pensar depois…” (Paulo Roberto do Carmo) não é de Quintana
– “Sobre o Amor” AD
– “Sobrevivência / Como Conseguimos Sobreviver?”  AD
– “Tua caminhada” (não é de Chaplin) AD
– “Um Dia de Merda”  (não é Luis Fernando Verissimo)
– “Um dia descobrimos” – (Frase final: “Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação” é um provérbio árabe) ñ é de Quintana
– “Um louco amor” – (não é de Fred Mercury) AD

……………………..

Nota: Esta lista está sujeita a novas inserções.

Para reflexão:

Por que ocorrem trocas de autorias? O porquê de tantos textos apócrifos, em algumas hipóteses:
http://www.rosangelaliberti.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=1154315

(Ilustração: recolhida da net)
Dicas: Na comunidade: Afinal, quem é o autor? (orkut/Facebook)

Rosangela Aliberti
Deixe seu comentário. Facebook.
image_pdfimage_print

Comments are closed.

About Gaefke

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +