Quando eu me amei de verdade

Hoje, 01 de Dezembro de 2009, a Ana Maria Braga, no seu programa Mais você, leu mais uma mensagem sem sequer mencionar o autor do texto, e mesmo no site “Mais você” (http://maisvoce.globo.com/MaisVoce/0,,MUL1398518-10354,00-QUANDO+ME+AMEI.html), não há nenhuma referência ao Autor, esse “infeliz” que cria um texto e vê todo mundo assassinando a autoria.

No caso do texto de hoje:” Quando eu me amei de verdade”, está em zilhões de blogs por ai como sendo de autoria de 2 pessoas: “Charles Chaplin” e “Autor Desconhecido”, o que é mais uma grande piada de mau gosto da grande Rede sem mãe (a Internet). O texto na verdade é de Kim McMillen , publicada por sua filha Alison McMillen (When I Loved Myself Enough) era parte de um caderno de mensagens que a mãe Kim escrevia como se fosse um diário. Ela morreu aos 52 anos e sua filha reuniu em um livro essas lindas mensagens. O livro foi publicado no Brasil pela Editora Sextante (R.J) com tradução de Iva Sofia Gonçalves Lima (96 páginas).

Obrigado ao pessoal da Comunidade Afinal quem é o Autor em: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=679171 que pode ser consultado por todos que tiverem “boa vontade” para descobrir a verdadeira autoria de um texto, inclusive o pessoal da produção do Mais Você.
Segue o texto original e com o devido autor!

Quando me amei verdade
Kim McMillen & Alison McMillen

Quando me amei de verdade
pude compreender
que em qualquer circunstância,
eu estava no lugar certo,na hora certa.
Então pude relaxar.

Quando me amei de verdade
pude perceber que o sofrimento
emocional é um sinal de que estou indo
contra a minha verdade.

Quando me amei de verdade

parei de desejar que a minha vida
fosse diferente e comecei a ver
que tudo o que acontece contribui
para o meu crescimento.

Quando me amei de verdade
comecei a perceber como
é ofensivo tentar forçar
alguma coisa ou alguém
que ainda não está preparado.
– inclusive eu mesma.

Quando me amei de verdade
comecei a me livrar de tudo
que não fosse saudável.
Isso quer dizer: pessoas, tarefas,
crenças e – qualquer coisa que
me pusesse pra baixo.
Minha razão chamou isso de egoísmo.
Mas hoje eu sei que é amor-próprio.

Quando me amei de verdade
deixei de temer meu tempo livre
e desisti de fazer planos.
Hoje faço o que acho certo
e no meu próprio ritmo.
Como isso é bom!

Quando me amei de verdade
desisti de querer ter sempre razão,
e com isso errei muito menos vezes.

Quando me amei de verdade
desisti de ficar revivendo o passado
e de me preocupar com o futuro.
Isso me mantém no presente,
que é onde a vida acontece.

Quando me amei de verdade
percebi que a minha mente
pode me atormentar e me decepcionar.
Mas quando eu a coloco
a serviço do meu coração,
ela se torna uma grande e valiosa aliada.

Kim McMillen & Alison McMillen

In: Quando me amei de verdade
Trad. Iva Sofia Golçalves Lima
Rio de Janeiro: Sextante, 2003 96p.

[email_link]

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +

2 thoughts on “Quando eu me amei de verdade

  1. Só de ler este pouquinho ,já me interessei.Tive a idéia de presentear uma senhora que gosta muito de ler ;com este presente:o livro Esta senhora a qual me refiro,é minha madrinha e tem 80 anos.

  2. Paulo!
    Eu concordo com sua indignação, quando as pessoas publicam qq text(seja um poema, pensamento, artigo) sem antes pesquisar quem é o verdadeiro autor.Quando recebo algo com autoria Desconhecida sempre procuro saber de quem é, mesmo se não for publicar, divulgar. Por interesse meu mesmo. Acho vergonhosa a falta de respeito com os direitos autorais.Reclame sempre amigo. A Educação começa sempre com o respeito ao próximo.
    Grande abraço

Comments are closed.