Poderoso ritual angelical para ter Paciência

Aprenda a silenciar a mente

Paciência não se compra, nem com calmantes. Se conquista!

Como eu digo no meu texto:
– Ah! se vendessem paciência em farmácias, ia sempre faltar no estoque!
Esse ritual angelical com Achaiah vem para dar uma força e acalmar os nervos, trazendo mais paz no seu ambiente de trabalho, em casa, na escola e no seu dia a dia.
Experimente, é simples e basta fazer uma vez para ter resultados.

RITUAL ANGELICAL PARA CONQUISTAR PACIÊNCIA.

No mundo atual, você tem que ter paciência. Seja na fila do ônibus, na fila do Banco, na fila no atendimento médico, na fila do cinema, na vizinhança, no trânsito, na rua, no supermercado, na escola, em toda parte enfim.

Todo mundo anda com o estopim curto atualmente e, por isso, qualquer coisinha de nada serve como pretexto para um conflito.

Para que a sua paciência jamais seja vencida, conte com o infalível e sempre presente auxílio do Anjo Achaiah, fazendo o seguinte:
toda segunda-feira, às l4:00 ou as 22 horas, acenda uma vela branca ao Anjo, pedindo seu auxílio.
Depois ore o Salmo 103, versículos 8 a 11.
Como agradecimento, deixe um cálice com um pouco de vinho tinto no altar,  onde você costuma acender as suas velas enquanto a vela  queima…
Após isso, derramá-lo na terra, mentalizando a calma e a paz que deseja ter, para você e a sua família.

Leia abaixo o meu texto Paciência



Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados…
Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.
Por muito pouco a madame que parece uma “lady” solta palavrões e berros que lembram as antigas “trabalhadoras do cais”…
E o bem comportado executivo?
O “cavalheiro” se transforma numa “besta selvagem” no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar…
Os filhos atrapalham, os idosos incomodam,
a voz da vizinha é um tormento,
o jeito do chefe é demais para sua cabeça,
a esposa virou uma chata, o marido uma “mala sem alça”.
Aquela velha amiga uma “alça sem mala”, o emprego uma tortura, a escola uma chatice.


O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.
Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado…
Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título,
dizendo que era longo demais.
Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para Deus.
A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética
dos calmantes está cada vez mais em alta.
Pergunte para alguém, que você saiba que é “ansioso demais” onde ele quer chegar?
Qual é a finalidade de sua vida?
Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.
E você?
Onde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Seu coração vai agüentar?
Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar?
A empresa que você trabalha vai acabar?
As pessoas que você ama vão parar?
Será que você conseguiu ler até aqui?


Respire… Acalme-se…
O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia vai completar o seu giro ao redor do sol, com ou sem a sua paciência…
Paulo Roberto Gaefke

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +