Pediu

Pediu
Pediu

Pediu um amor, encontrou, mas não soube reconhecer,
perdeu-se em meio as paixões fúteis…

Pediu uma oportunidade de vida, encontrou trabalho,
desistiu, preferiu o emprego fácil.

Pediu uma bênção, recebeu a própria vida,
mas não a reconheceu, nos vícios quase a perdeu.

Pediu para aumentar a fé, recebeu uma provação,
no meio da noite chorou, desistiu de Deus.

Pediu um sonho, sonhou e ficou esperando,
os dias se passaram e de braços cruzados nada aconteceu.

Acabou pedindo um pedaço de pão;
uma migalha de amor;
um tostão de fé;
uma nota qualquer;
virou mendigo de si mesmo.


Eis que o dia pede ação!

Os sonhos correm na frente,
estão sempre adiantados.
Para alcançá-los é preciso esforço.
Pare de lamentar-se pelo que não foi,
lute para ser o que deseja ser, ou ter.
Na vida não há espaço para o desânimo.

Pediu para ver Deus,
encontrou-o caído na calçada,
outro dia estava internado no hospital,
mais tarde na cela de uma prisão,
e no final da noite, bateu à sua porta e pediu pão.
Ele viu, mas não reconheceu,
pois onde está o teu irmão,
ai está Deus.

Eu acredito em você
Paulo Roberto Gaefke
Clique e envie
[email_link]

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +

Comments are closed.