Os muitos “eus”




Tenho dentro de mim vários “eus” lutando entre si,
um é carinhoso e sonhador, vive me deixando em enrascadas,
aprisionando-se em paixões difíceis e complicadas,
já um outro é frio e racional demais,
e por vezes não me deixa viver um grande amor.

Tenho um monstro irrequieto e ansioso,
que me leva a loucura, altera minha pulsação,
e não me deixa sequer pensar, por isso,
muitas coisas eu faço e me arrependo depois.
Em contraste com esse ansioso, tem um “eu” quase “monge”,
que as vezes me desespera por não querer reagir,
por aceitar as situações e até se acomoda diante dos problemas,
sonhando com soluções mágicas.

De vez em quando surge um outro eu, lutador,
desejoso de mudar o mundo e atrapalhado,
começa algo que nunca termina…
Um outro revoltado, não pode ver as injustiças,
mas é incapaz de promover qualquer mudança,
e o meu “eu” religioso, se fecha em oração,
mas o que espera resultados rápidos,
culpa Deus por tudo que não tenho.

Assim, vou tentando viver, lutando com meus vários “eus”,
tentando colocar uma certa ordem na minha “casa”,
amando menos do que deveria,
desejando mais amor do que mereceria,
trabalhando muito e desejando mais,
vivendo no limite entre a loucura e a razão,
se grito, me assusto,
se me calo, me angustio,
meu “eu” mais profundo tem sede de amor,
e é por isso que te procuro, em cada rua que passo,
em cada cidade que visito, em cada mensagem que recebo,
te percebo e te desejo, te quero e espero,
amor, simplesmente amor…

Eu acredito em você!

Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br
Use e repasse a vontade em sites, blogs ou e-mail, mas, por favor, respeite os direitos autorais e mantenha o nome do autor.

Mensagem do Dia do Meu Anjo – Os muitos “eus”

Deixe seu comentário. Facebook.
image_pdfimage_print

Comments are closed.

About Gaefke

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +