O trem parado – Mensagem do dia

Mensagem do Meu Anjo – O trem parado
Por Paulo Roberto Gaefke em 11-03-2015

O trem parado é a mensagem de hoje de Paulo Roberto GaefkeO olhar parado sobre o passado que não volta,
é como um trem abandonado nos trilhos de uma antiga ferrovia.
O tempo passa e o trem não se mexe,
não se mexendo, vai enferrujando,
enferrujando vai sendo comido, devorado pelos dias que avançam.

Depois de algum tempo, o trem já não serve nem para sucata.
Assim somos nós quando paramos em algum lugar do passado.
Esperando o amor que não volta,
o filho que partiu,
o ente querido que morreu,
o amigo que correu.

Vamos sendo carcomidos por dentro e por fora,
as oportunidades vão passando e a gente morrendo lentamente.
Deveríamos ser obrigados a arrastar nosso trem,
ainda que alguns metros por dia.
Como a Lei que proíbe deixar carros velhos nas ruas.

Não deveríamos jamais viver nosso luto por tanto tempo.
Saudade sempre, luto eterno nunca!

Acordar para a vida é mais do que se oferecer uma nova chance.
É valorizar o que nos foi dado de mais precioso: a nossa existência.
Não se iluda, nada é de graça.
Até o ficar parado nos será cobrado.
Acorde e mova o seu trem, ainda que esteja um pouco enferrujado.
Nada como a brisa do dia para despertar novas motivações,
e algo sopra no ar e vem com o tempo e me diz:
você tem tudo para ser FELIZ!



ATENÇÃO:
​Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Escrito por Paulo Roberto Gaefke – www.meuanjo.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
www.meuanjo.com.br


Deixe seu comentário. Facebook.
image_pdfimage_print

Comments are closed.

About Gaefke

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +