Eu reconheço

Eu reconheço,
que tenho capacidades em mim, que desconheço.
Que as vezes falo demais, não me contenho.
Que reclamo além do necessário,
e quando contrariado,
me escondo, me retraio.

Eu reconheço,
que as vezes prefiro fugir,  não me encontro,
prefiro deixar para lá, quando poderia lutar,
deixo o cansaço me vencer, por medo de perder,
nem sempre faço o que eu falo,
mas sempre falo o que deveria fazer.

Eu reconheço a minha carência,
a vontade de viver amando, suspirando,
exalando o perfume da paixão,
mas nem sempre deixo
o amor se estabelecer em mim, pois crio regras,
quero que o amor seja como eu sonhei,
e por vezes, ele é justamente o contrário.
Mas, se é amor, por que não?

Eu reconheço que pouco agradeço,
fico tentado em ver o que ainda não tenho,
esquecendo das minhas conquistas,
a alegria eu mal comemoro,
mas as decepções eu não esqueço,
por isso, eu reconheço, que em muitos dias,
eu não me conheço.

Eu reconheço, que preciso mudar,
e faço deste dia um convite para você,
vem ser feliz com o que temos,
na simplicidade de uma música,
que fala do prazer de ser quem somos,
e assim, reconhecer que o mundo é nosso,
que o dia nasceu para ser feliz,
e assim será.

“Eu reconheço em você,
a amizade, a paz e a esperança de tempos melhores,
e vejo a sua capacidade de reconhecer-se,
e assim perceber que tudo está apenas recomeçando.
neste dia que te abraça e convida para conquistar.
Reconheça, agradeça e vença!”

(Paulo Roberto Gaefke)
[email_link]

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +

Comments are closed.