Entregue-se

Mensagem de meu Anjo – Entregue-se
Entregue-se mensagem de Paulo Roberto Gaefke

No momento mais difícil do relacionamento

escrevi na dureza do meu coração: nunca mais!

Era uma decisão cheia de sofrimentos, decepções e rancor,
eu preferia a solidão, a derrota solitária,
que viver um novo amor.

Afinal de contas, o amor mal vivido,
mal resolvido,
dói demais.

E é dor que não se exprime por palavras,
não se encontra remédio nas farmácias,
nem se agenda consulta com o doutor,
é dor demais, essa tal “dor de amor”.

Por isso, tranquei tudo o era meu em um casulo,
era eu e o meu mundo, mergulhado no escuro,
no vazio dos meus pensamentos,
na amargura dos sentimentos…

Até que, de repente, não mais que de repente,
alguém veio e tocou na ferida com cuidado.
Foi como um balsamo em corte profundo,
e mais uma uma vez, o amor mudou meu rumo,
fiquei de novo, sem chão, suspenso no mundo.

Por mais que a dor da desilusão,
maltrate o nosso coração,
o amor é uma experiência que deve ser vivida,
por muitas e muitas vidas.
Deve ser sempre o ponto de partida,
para a melhoria do ser humano como um todo.
Nem a guerra, nem a tortura, muito menos a dor,
mudam tanto alguém, como faz o amor.

Na alegria do momento de entrega, vem a pergunta:
por que fugir do amor?

Sem amor, a vida é um jardim sem flores,
árvores sem folhas,
frutos sem doçura,
é criar filhos sem ternura,
é viver por viver,
sentindo a amargura.

Por que fugir do amor, se ele pode transformar,
e ainda hoje, fazer brotar,
o sentimento que não nos deixa esquecer,
que a dois, a vida vira mesmo
é um grande prazer.

Eu acredito em você
Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br
Ao menos uma vez por mês, pratique o vegetarianismo, para nutrir seu coração de compaixão.
[email_link]
image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +