Desacertos

Por Paulo Roberto Gaefke
Clique para ouvir a música enquanto lê:
[audio:http://www.meuanjo.com.br/audio/Lorrie Morgan - Don't Worry Baby.mp3]
O e-mail que você esperava não chegou,
o convite tão esperado não apareceu,
aquela pessoa que prometeu vir, furou,
aquela prova de ontem foi muito difícil,
o emprego que você sonhava foi para outra pessoa,
o resultado do concurso te desanimou,
o novo amor já tem compromisso,
e nada, nada tem sido bom para você nesses tempos…

Para complicar, alguém lhe disse:
– ” Não se preocupe, Deus escreve certo por linhas tortas”.
E você já pensa que as suas linhas entortaram de vez,
que para você não há saída, nem rumo e nem direção.

Antes de entrar em parafuso ou depressão,
procure usar o racional e verificar alguns pontos,
primeiro veja a sua parte na sua história,
você anda fazendo o que precisa ser feito?
Na prova de ontem, será que você estudou o bastante?
Para aquele emprego, será que a vaga era mesmo o seu perfil?
O que você tem a mais no currículo?
Aquela pessoa que você esperava,
foi avisada da sua ansiedade?
As dívidas estão acumuladas?
Você já aprendeu a poupar?

Sabe, Deus é tão perfeito,
que eu me recuso a pensar que ele escreve qualquer coisa
em linhas tortas, pois tudo na natureza é perfeição,
tudo em nosso organismo funciona direitinho,
no espaço existem movimentos sincronizados
e na física leis exatas…

Então, temos que concluir,
que Deus sempre escreve certo em linhas certas,
quem entorta somos nós…

Por isso reflita nas atitudes que tem tomado,
com quem você tem andado, com quem você sonha,
com quem você se envolve…
Pare, pense, e se for preciso, não tenha medo
de admitir que tem errado, que precisa mudar.
O bom do erro é permitir o acerto,
e assim o erro tem uma serventia.

O duro é persistir no erro,
é o entortar das linhas,
é burrice mesmo.
Pense nisso!

Eu acredito em você.
Paulo Roberto Gaefke

[email_link]


image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +

Comments are closed.