Aprendizado sem dor

“Faça das dificuldades fonte de aprendizado.”
Faça como na escola, onde a lição difícil era repetida exaustivamente até aprender.


Não precisa repetir a dor, mas refletir nos motivos que o levaram até ela é fundamental.
Muita gente anda fugindo da dor, se escondendo com o uso de drogas, vícios estranhos e até, o fingir que não é com ela.

As vezes o problema está bem na frente dos seus olhos gritando:
eu sou um problema!
E ainda assim, você foge até descobrir que está em um beco sem saída e a verdade, que era apenas “um problema”, passa a ser uma grande dor.

É tempo de pegar cada “abacaxi” e descascá-los!
Os maduros demais, vão virar sucos.
Outros, muito verdes, infelizmente, vão virar ração.
Os que apodreceram, só enterrando…

Quantas “abacaxis” podres estão por ai na sua vida?
Quantos estão maduros e você não está aproveitando?

Faça de cada dificuldade um aprendizado.
Não se fixe na dor!
Pegue essa experiência e diga com orgulho:

  • – Agora eu já sei o que é amor e o que é paixão.
  • – Agora eu sei quem é amigo e quem é “conhecido”.
  • – Agora eu sei o que é probelam real e o que é o meu medo.
  • – Agora eu sei que o ciúme é uma lente ampliada dos meus receios.

Quanta coisa você já aprendeu!
E quanta coisa ainda vai aprender…

Para passar bem pelos problemas, ame-se!
Respeite-se!

Seja a sua melhor companhia, aquela que reconhece o que é bom e o que é ruim para você, para o seu corpo, para a sua mente, para a sua eternidade.
Sim, porque, no final das contas, quem vai passar a eternidade com você não é João e nem Maria, mas essa pessoa simpática que você vê no exato instante em que se aproxima do espelho e encarando de frente aquele rosto diz:

– Eu te amo (fale o seu nome) e tudo está muito bem!
Faça de cada dificuldade um aprendizado.
Paulo Roberto Gaefke
17/11/2012

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +

2 thoughts on “Aprendizado sem dor

Comments are closed.