Alma Humana

Mensagem do Meu Anjo – Alma Humana
Por Paulo Roberto Gaefke em 19 de Janeiro de 2011

Alma Humana texto de Paulo Roberto Gaefke

De todos os desejos reunidos na alma humana,
o sonho da felicidade abstrata é o mais visível.
É aquele sonho onde nos vemos com algo
que agora que não possuímos,
e quando conquistamos aquele “tesouro”,
já estamos pensando em um outro mais distante.

É como aquela cenoura colocada diante dos olhos do cavalo,
amarrada por uma corda que não o deixa alcançá-la.
A cenoura está ali, mas tão perto e tão distante…

A alma humana, sonhadora e infeliz,
busca encontrar em alguma coisa externa a alegria,
o contentamento que não encontra em si mesma.

É uma procura inútil, viagem sem mapa,
férias sem roteiro,
fuga sem rota…
O que buscamos e o que não encontramos,
é a nossa própria ausência,
é o distanciamento da nossa realidade,
o aceitar-se!

Descubra suas capacidades e necessidades,
reveja seus conceitos que lhe fazem mal,
pare de agredir a sua própria condição,
de menosprezar o real valor que você tem.

Encontre-se antes de sair por ai
jurando que ama essa ou aquela pessoa.
Isto só trará dor e sofrimento,
e aumentará a sensação de que você nasceu para sofrer.
Nem o “Aleijadinho” nasceu para sofrer,
muito menos você, alma querida.

O que está errado é o foco, é a direção.
Corrija o rumo da sua vida,
respeite-se, valorize-se e com certeza,
aquelas portas fechadas vão se abrir de par em par,
motivadas pela energia poderosa que habita em você,
nesse dia, além de encontrar-se,
saberá que Deus existe, e nunca te abandonou.

Muita paz

Eu acredito em você

Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br
“Ao menos uma vez por mês, pratique o vegetarianismo, para nutrir seu coração de compaixão.”

[email_link]

image_pdfimage_print

About Author:

Nascido em Diadema, SP no primeiro dia de janeiro de 1961, capricorniano que adora a vida e conhecer as pessoas, apesar de adorar a reclusão do meu lar. Pai, avô, irmão, filho, cristão, budista, evangélico, católico, espírita, templário, abduzido, desencontrado e meio incerto, assim sou eu... Paulo Roberto Gaefke no Google +